Primavera começa sem chuvas no Espírito Santo

A primavera começou às 11h21 da quinta-feira (22). A expectativa do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) é de que a estação comece sem chuvas no Espírito Santo.

“O inverno se despediu com a incursão de uma massa de ar frio que passou pelo oceano organizando áreas de instabilidade que provocaram chuva de volume considerável em vários municípios capixabas”, disse Ivaniel Foro Maia, meteorologista do Incaper.

Apesar das últimas chuvas registradas em vários municípios capixabas, a situação no Espírito Santo ainda é bastante crítica. “A chuva pode representar um alívio, mas ainda está longe de resolver os sérios danos causados pela grave crise hídrica enfrentada pelo Espírito Santo. Os esforços devem ser constantes e permanentes para economizar água. A chuva foi suficiente para molhar apenas alguns centímetros do solo, não chegou a infiltrar nas camadas mais profundas e abastecer o lençol freático”, explicou José Geraldo Ferreira da Silva, chefe da equipe de meteorologia do Incaper.

Para o mês de outubro, que marca a transição entre o período seco e o chuvoso, o Incaper prevê que a chuva se comporte dentro do normal para o período no Espírito Santo, mas com tendência de temperatura normal ou acima do normal. Ou seja: outubro pode ser mais quente que o normal no Estado.

“A primavera traz consigo mudanças aceleradas nas condições do tempo. No Espírito Santo, os meses de outubro, novembro e dezembro, que compreendem o período da estação, são os meses mais chuvosos do ano. Apesar de diminuírem sua frequência, algumas frentes frias ainda avançam com fraca intensidade pelo Estado. As massas de ar frio que acompanham a frente provocam quedas ocasionais de temperatura, principalmente na Região Serrana. Há um aumento progressivo no índice pluviométrico, marcando a passagem da estação seca para a estação chuvosa, quando se iniciam as pancadas de chuva no final da tarde ou à noite devido ao aumento gradativo das temperaturas e dos índices de umidade.”, finalizou Maia.

“Apesar da previsão de chuva para o Estado, não podemos descuidar. Mesmo que a previsão se confirme, é preciso continuar economizando água. Essa chuva tem que ser constante e bem distribuída, para que a água infiltre até atingir as camadas mais profundas do solo. Isso não é da noite para o dia. Vai levar um tempo considerável para reparar os danos causados por essa longa estiagem”, acrescentou Ferreira. Para mais detalhes relacionados à previsão do tempo no Espírito Santo, acesse: http://hidrometeorolog ia.incaper.es.gov.br/index.php

Ações contra a crise hídrica

Na próxima semana, o Incaper realiza um treinamento de convivência com a seca, abordando temas como conservação do solo e da água. O treinamento é voltado exclusivamente para técnicos, que serão multiplicadores da tecnologia entre os produtores rurais do Espírito Santo e demais interessados. Diversas outras ações estão sendo desenvolvidas em todo o Estado, como: cursos de barragem; orientações técnicas sobre caixas secas e irrigação; desenvolvimento de variedades clonais e de mudas propagadas por sementes resistentes à seca, construção de barragens; além de diversas obras, como as realizadas no Rio Reis Magos e na barragem de Rio Bonito. Além de todo este trabalho, é fundamental que a população capixaba continue economizando água.

Legenda da foto:Situação do Rio Cricaré por causa da seca é alarmante.

Informações Adicionais